• By Sharon Theimer

Paciente da Mayo Clinic diz que graças à impressão 3D, “eles sabem quem eu sou: sou o vovô.”

14 junho 2021

Para John Roby, a jornada de recuperação das lesões em seu rosto teve início com o trabalho em equipe entre a Cirurgia Plástica e a Radiologia, usando a impressão 3D. John está com Dr. Sharaf (à esquerda) e Dr. Morris (à direita) nesta foto.

Em um piscar de olhos, tudo mudou para John Roby. A sensação de segurar firme o freio de mão, o entendimento do que estava para acontecer, a colisão inevitável entre a moto e o lado do passageiro de uma caminhonete.

Os detalhes são confusos e traumáticos para John, a memória que ocorreu é baseada no relatório e na reconstrução do acidente. Este é um momento que ele não gostaria de relembrar. Ele foi seriamente ferido no acidente e ficou inconsciente logo depois.

Da colisão ao instante em que ele acordou em uma cama de hospital na Mayo Clinic, ele não lembra de nada.

“Não posso contar todos os detalhes de como vim parar aqui, porque estava inconsciente quando cheguei”, John fala sobre o voo de helicóptero de perto de Mankato, Minnesota, até o Hospital da Mayo Clinic em Rochester, no Saint Marys Campus. “Se não fosse pelo helicóptero e pelos médicos, eu não estaria aqui falando com você hoje.”

Apesar de não lembrar como, ele sabe exatamente porque foi levado à Mayo Clinic. E ele é grato por isso. Ele diz que estava irreconhecível, “com muitos ossos quebrados.”

E John diz que, graças aos cirurgiões, médicos, tecnólogos, enfermeiros e todo o pessoal da Mayo Clinic envolvido em seu cuidado, tudo mudou novamente. Ele voltou a ser ele mesmo.

John estava dirigindo uma moto na Rota 169, perto de Mankato, Minnesota, quando colidiu com outro veículo que veio em sua direção. Mesmo usando capacete, John teve ferimentos graves que requeriam atenção imediata.

Ele foi transportado pelo Mayo One, um helicóptero-ambulância, até a Mayo Clinic, em Rochester.

John teve traumas e fraturas faciais extensas, tanto na parte superior como no meio e parte inferior do rosto, diz o Dr. Basel Sharaf, cirurgião plástico e de reconstrução na Mayo Clinic. O planejamento meticuloso necessário para ajudar John levou o Dr. Sharaf até o Laboratório de modelagem anatômica tridimensional (3D) da Mayo Clinic.

Dr. Jonathan Morris, diretor do Laboratório de modelagem anatômica 3D, diz que astomografias computadorizadas (TC) da cabeça e do pescoço permitiram que a equipe de engenharia criasse uma série de modelos, em tamanho real e específicos do paciente, dos ossos faciais e das fraturas patológicas de John. A Unidade de modelagem anatômica usou um programa computadorizado de design para replicar seu rosto e crânio em 3D, que depois foi usado para imprimir as réplicas em 3D.

Dr. Morris e a Unidade de modelagem anatômica usaram a TC de John para recriar seu rosto com cada fragmento independente da fratura em uma cor diferente. Isso permitiu queDr. Morris e Dr. Sharaf começassem a mover os fragmentos onde eles deveriam estar localizados, com base em medições faciais normais e uma imagem espelhada do lado normal do paciente. A equipe cirúrgica também usou fotografias recentes de John para guiá-los no processo.

A equipe imprimiu em 3D diversos modelos específicos do paciente, incluindo o crânio com todos os fragmentos fraturados e uma segunda versão atual do crânio corrigido e reconstituído, com base em uma reconstrução tipo quebra-cabeça, sob orientação do Dr. Sharaf.

Tradicionalmente, as placas usadas para reparar os ossos fraturados são dobradas e ajustadas na sala de cirurgia, depois que o cirurgião coloca todas as peças juntas. Usando planejamento virtual e impressão 3D, Dr. Sharaf usou os modelos corrigidos impressos em 3D para dobrar as placas cirúrgicas necessárias para a reconstrução antes da cirurgia, poupando tempo significativo durante o procedimento. Além da economia de tempo, as placas servem como guias cirúrgicos para reconstruir com precisão os ossos da face.

“Em colaboração com os setores de Engenharia, Radiologia e Cirurgia Plástica, somos capazes de criar um crânio corrigido, onde todas as partes que criamos anteriormente estão agora na área e lugar certos, ambos no formato do crânio do paciente, para que ele pareça normal mas também funcione de maneira normal”, diz Dr. Morris.

Após a reconstrução, um crânio final impresso em 3D foi criado para mostrar a reconstrução, incluindo todas as placas e ossos no lugar.

John diz que ver os modelos de sua própria anatomia é assustador.

Antes da Mayo Clinic ter uma impressora 3D no local, cirurgias complexas como a de John eram realizadas na sala de cirurgia. Embora houvesse planejamento, faltava o nível de detalhe que os modelos impressos em 3D proporcionam.

“Quando há um trauma facial extenso, geralmente sem essa camada intermediária de planejamento virtual e impressão 3D, temos que executar a etapa final de reconstrução na sala de cirurgia”, diz o Dr. Sharaf. “Frequentemente, há bastante inchaço facial e isso pode interferir na sua habilidade, mesmo com mãos experientes, de atingir o melhor resultado de reconstrução, especialmente quando tentamos reconstruir o esqueleto facial em três dimensões.”

A jornada de recuperação de John é longa, com diversas cirurgias com várias especialidades para abordar as diversas lesões. Apesar disso, o progresso atingido devolveu a John e sua família algo que lhes foi tirado naquele momento em junho de 2020.

“Eu me reconheço”, ele diz. “A coisa mais importante é que minha namorada e meus netos me reconhecem. Eles sabem quem eu sou: sou o vovô.”

###

Sobre a Mayo Clinic

A Mayo Clinic é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a inovação na prática clínica, educação e pesquisa, fornecendo compaixão, conhecimento e respostas para todos que precisam de cura. Visite a Rede de Notícias da Mayo Clinic para obter mais informações sobre a Mayo Clinic. Para obter informações sobre a COVID-19, incluindo a ferramenta de rastreamento Mapa do Coronavírus (Coronavirus Map) da Mayo Clinic, que tem previsão de 14 dias sobre as tendências da COVID-19, visite o Centro de Recursos para COVID-19 da Mayo Clinic.

Jornalistas: o vídeo com qualidade de transmissão (2:02) em inglês está disponível aqui. Lembrem-se de incluir “Cortesia: Rede de Informações da Mayo Clinic”. Leia o script.

Contato de mídia:

Ethan Grove, Relações Institucionais da Mayo Clinic, newsbureau@mayo.edu