• By Sharon Theimer

Ajuda com lesões esportivas

22 setembro 2022
um grupo de adolescentes em uniformes azul e branco jogando futebol em um campo verde

ESTIMADA MAYO CLINIC: Sou diretor esportivo em uma escola de ensino fundamental e o novo ano letivo começará em breve. Prevejo que teremos um aumento em lesões esportivas no futebol, no futebol americano, na animação de torcida, no flag football e em outras atividades. Os atletas jovens têm muitas pancadas e hematomas, mas como eles podem evitar as lesões? Algum conselho sobre quanto tempo eles devem esperar antes de voltar ao campo ou a jogar?

RESPOSTA: Os esportes são uma oportunidade fantástica para os jovens. Eles proporcionam benefícios não apenas à saúde física, mas também benefícios sociais, emocionais, mentais e educacionais. Ao comparar aqueles que participam de esportes juvenis com os que não participam, os jovens atletas têm taxas mais baixas de ansiedade e depressão, melhor autoestima, menor uso de substâncias, melhores habilidades de vida, mais realizações acadêmicas e maior qualidade de vida em geral.

Entretanto, a prática esportiva tem riscos em potencial, incluindo as lesões. Atletas jovens têm lesões diferentes, pois ainda estão crescendo e são mais vulneráveis a elas. Determinados esportes apresentam riscos de lesões comuns, mas qualquer lesão pode ocorrer em quase qualquer atividade.

Os tipos de lesões incluem as lesões traumáticas e as lesões por uso excessivo.

Lesões traumáticas

As lesões traumáticas normalmente são repentinas e causadas por torção, queda ou colisão. Essas lesões geralmente ocorrem quando o jogador está interagindo no ambiente esportivo. Os exemplos mais comuns são fraturas de ossos, entorses de ligamentos, distensões de músculos e tendões, e cortes ou arranhões na pele. Outras lesões, como concussões ou aquelas que afetam outros sistemas de órgãos, são menos comuns.

As lesões traumáticas são mais difíceis de evitar. Por exemplo, alguns esportes, como o futebol americano, têm muitas colisões intencionais por jogo, o que cria e aumenta o risco de lesões. O futebol tem menos colisões, mas há um potencial significativo de partes do corpo serem atingidas ou torcidas. Isso significa que os atletas têm predisposição a lesões no pescoço, na cabeça e nas extremidades inferiores.

Algumas vezes, essas lesões acontecem apenas ao pisar ou correr em uma superfície irregular. Outros esportes, como dança, animação de torcida e corrida cross-country, não apresentam a mesma quantidade de lesões traumáticas. Mas há o risco de quedas e de quebrar ossos.

Algumas estratégias que podem ser consideradas para diminuir o risco de lesões traumáticas incluem:

  • Iniciar programas de prevenção de lesões.

Determinados padrões de movimento ou fraquezas podem aumentar o risco de lesões. As ferramentas de exames preventivos podem analisar os padrões de movimento e tentar prever o risco de lesão. Os programas procuram prevenir as lesões. Por exemplo, muitos programas procuram evitar rupturas do ligamento cruzado anterior. Um profissional de medicina esportiva pode orientar você sobre exames e prevenção. Considere ainda os programas de prevenção de lesões em hospitais comunitários e organizações de saúde.

  • Usar equipamentos adequados e certificar-se de que eles estejam bem ajustados.

Muitos esportes têm equipamentos como capacetes, protetores para boca e olhos, acolchoados, cintas e outras proteções. Esse equipamento é projetado para proteger os atletas de lesões. Se não forem usados da maneira correta, os equipamentos frequentemente são ineficazes. Treinadores esportivos em escolas, profissionais de saúde ou autoridades das ligas podem ajudar com recursos para o uso adequado.

  • Garantir que os atletas estudantes sigam as regras do jogo.

Muitos esportes têm regras para proteger os jovens atletas de lesões, incluindo as que proíbem o tackle com lançamento do adversário ao chão no futebol americano ou checking ilegal no hóquei. Cumprir e promover mudanças nas regras para a segurança pode diminuir o risco de lesões.

  • Recuperar-se totalmente das lesões antes de iniciar ou retornar ao esporte, ou à atividade.

Mesmo uma simples torção de tornozelo pode se tornar problemática se não for reabilitada adequadamente. É importante que um atleta lesionado trabalhe com alguém com conhecimento em reabilitação de lesões antes de voltar a jogar. Foi demonstrado que lesões em uma parte do corpo podem aumentar o risco de lesões em outras partes do corpo, portanto, tome cuidado com todas as lesões e garanta um retorno seguro ao esporte. Procure um profissional com experiência em esportes.

 

Lesões por uso excessivo

As lesões por uso excessivo ocorrem gradualmente ao longo do tempo, muitas vezes quando um determinado movimento ou estresse ocorre repetidamente em certas estruturas do corpo. Isso, combinado com descanso e recuperação inadequados, resulta em lesões. Alguns exemplos incluem fraturas por estresse, tendinite e tendinopatia, e apofisite, que é uma lesão por estresse nos centros de crescimento dos ossos.

Assim como as lesões traumáticas, alguns esportes apresentam um risco maior de determinadas lesões por uso excessivo do que outros. Os corredores têm um risco maior de lesões por uso excessivo nos membros inferiores, e os nadadores e os jogadores de tênis e de beisebol têm um risco maior de lesões por uso excessivo nos membros superiores. As lesões por uso excessivo são mais fáceis de evitar, pois geralmente são o resultado de erros de treinamento, carga ou estresse excessivos sobre uma parte específica do corpo.

Algumas estratégias que podem ser consideradas para diminuir o risco de lesões por uso excessivo incluem:

  • Iniciar o treinamento antes do início da temporada.

Um aumento rápido na frequência de treino ou uma mudança repentina no tipo de treinamento podem ser fatores de risco para o desenvolvimento de certas lesões. Os tecidos não tiveram tempo suficiente para se adaptar às novas demandas e correm risco de lesão. O treinamento progressivo várias semanas antes da temporada pode preparar os atletas estudantes para as demandas mais altas da temporada.

  • Garanta hidratação e nutrição adequadas.

Energia e hidratação inadequadas são fatores de risco para lesões. Por exemplo, no cross-country ou na dança, os atletas têm um gasto energético alto com uma ingestão energética bem menor. Isso aumenta o risco de lesões, especialmente fraturas por estresse.

  • Seguir as recomendações de descanso e treinamento.

Descanso inadequado ou treinamento excessivo aumentam o risco de lesões. Mais nem sempre é melhor. As pessoas que praticam esportes ao longo do ano inteiro, ou todos os dias da semana, correm maior risco de lesões em comparação com aquelas que têm períodos de descanso.

  • Ouvir o seu corpo.

Há uma diferença entre dor e lesão. No entanto, a maioria das dores, como as musculares, deve melhorar com o tempo ou com repouso. A dor persistente é uma pista para o corpo sobre uma lesão mais preocupante. Atletas estudantes podem hesitar em se manifestar e falar sobre preocupações, por isso é sempre importante conversar com os jovens e incentivá-los a dizer se não estiverem se sentindo bem.

Apesar dos esforços para diminuir o risco, uma lesão ainda pode ocorrer.

Pode ser um desafio diferenciar entre dor e lesão, mas considere estas dicas, recomendações de tratamento e orientações para decidir quando os atletas estudantes podem voltar ao campo de jogo:

Uma avaliação médica de uma lesão é necessária se:

  • A dor for de alta intensidade, não melhorar com o repouso ou piorar com a atividade ao longo do tempo.
  • A lesão causar perda de função, como incapacidade de andar, arremessar ou mover completamente uma parte do corpo.
  • As lesões apresentarem deformidade óbvia ou inchaço significativo.
  • As lesões resultarem na perda de prazer na prática do esporte ou na incapacidade de continuar treinando.

Após uma lesão, siga estes passos iniciais:

  • Descanse e evite atividades dolorosas. É importante permitir que o tecido se cure.
  • Use gelo, elevação, compressão e medicamentos anti-inflamatórios de venda livre, se necessário, para controlar a dor e diminuir o inchaço e a inflamação.
  • Trabalhe para manter padrões de movimento sem dor, evitando rigidez e atrofia. Em última instância, isso ajuda a ter um retorno mais rápido ao esporte.
  • Consulte um especialista em medicina esportiva sobre formas de acelerar a recuperação.

 

Considerações para voltar a jogar:

Cada lesão e cada atleta são diferentes, e eu sempre recomendo seguir o conselho de um profissional de saúde. No entanto, antes de os atletas voltarem a jogar, eles devem ter pouca ou nenhuma dor, amplitude de movimento completa, recuperação da força total, e, o mais importante, poder realizar as atividades específicas e atender às demandas do esporte com segurança. Eu também digo aos meus pacientes: na dúvida, fique de fora.

O esporte pode trazer muitos benefícios aos jovens atletas. Com o treinamento, os lembretes e a orientação adequados, espero que ocorram menos lesões nesse ano letivo. Se você tiver alunos com problemas significativos, considere encaminhá-los para uma clínica de medicina esportiva para ajudar na recuperação e no desenvolvimento personalizado.

Dr. David Soma, medicina pediátrica e adolescente e medicina esportiva, Mayo Clinic, Rochester, Minnesota

###

Sobre a Mayo Clinic
A Mayo Clinic é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a inovação na prática clínica, educação e pesquisa, fornecendo compaixão, conhecimento e respostas para todos que precisam de cura. Visite a Rede de Notícias da Mayo Clinic para obter outras notícias da Mayo Clinic.

Contato de mídia:
Rhoda Madson, Comunicações da Mayo Clinic, newsbureau@mayo.edu