• By Sharon Theimer

Perguntas e respostas da Mayo Clinic: 4 formas de reduzir o risco de demência

20 julho 2022
Foto em close-up das mãos de um casal montando um quebra-cabeça na cozinha, fotografada de frente

ESTIMADA MAYO CLINIC: Tenho um pouco mais de 40 anos e tenho dois filhos pequenos. Minha mãe desenvolveu problemas de memória com cerca de 60 anos, e isso tem piorado progressivamente. As irmãs dela também têm problemas relacionados. Como posso reduzir o meu risco e o risco dos meus filhos de desenvolvermos a demência? Há alimentos, suplementos ou atividades específicos que devemos incorporar em nossas vidas para diminuir as chances de perda de memória?

RESPOSTA: A demência descreve sintomas que afetam a memória, o pensamento e as habilidades sociais de uma pessoa a ponto de dificultar a realização de atividades diárias normais. A demência é causada por alguma doença cerebral. A doença de Alzheimer é a mais comum e mais conhecida pelo público. As doenças que afetam os vasos sanguíneos, as mesmas que causam ataques cardíacos e derrames, são a segunda causa mais comum de demência.

Ter um histórico familiar de demência aumenta o risco de desenvolver a doença. No entanto, muitas pessoas com histórico familiar nunca desenvolvem sintomas. E aquelas que não têm histórico familiar também podem ter problemas de memória à medida que envelhecem.

Considere às quatro dicas a seguir para reduzir o risco geral de problemas de memória.

1. Participe de atividades que estimulem o cérebro.

Considere quebra-cabeças e jogos de computador. Mas faça disso um hábito ao longo da sua vida, pois as pesquisas sugerem que o valor das atividades cognitivamente estimulantes se constrói ao longo da vida. Isso significa que ter uma boa educação, trabalhar em uma atividade que seja mentalmente estimulante e ter passatempos, hobbies e atividades sociais que exigem foco mental são importantes para reduzir o risco de desenvolver demência.

2. Foque na educação e em aprender novas habilidades.

Os estudos mostraram que quanto mais anos de educação uma pessoa tem, menor o risco de demência. Tudo indica que as pessoas que passam mais tempo envolvidas em aprendizados tendem a desenvolver redes mais robustas de células nervosas e de conexões entre essas células nervosas nos seus cérebros. Essas redes estão mais bem equipadas para lidar com os danos celulares que podem ocorrer devido a distúrbios cerebrais que podem levar à demência.

3. Mantenha um estilo de vida saudável.

Assim como acontece com outros problemas de saúde, um estilo de vida saudável é igualmente importante para manter a saúde do cérebro. Comer bem, manter um peso saudável, praticar exercícios físicos regularmente e evitar situações que aumentem o risco de ataques cardíacos e derrames também podem reduzir o risco de demência. Também foi demonstrado que reservar um tempo para cuidar efetivamente do colesterol e da pressão arterial, não fumar e limitar o consumo de álcool melhora a saúde cognitiva no futuro. Isso porque essas medidas afetam a saúde dos vasos sanguíneos do cérebro, do pescoço e do coração. Também é importante dormir bem e tratar os distúrbios do sono, como a apneia. Os suplementos para dormir não devem ser necessários se você tiver uma dieta equilibrada.

4. Manter interação social.

Pesquisas mostram que a interação social em qualquer idade terá benefícios cognitivos positivos. Interagir regularmente com outras pessoas, incluindo familiares, amigos, vizinhos, colegas de trabalho e membros da comunidade, pode melhorar seu humor, melhorar sua perspectiva e o uso do seu cérebro. As interações regulares afetam positivamente as habilidades cognitivas, sendo demonstrado que isso alivia os sintomas da demência.

Quanto aos seus filhos especificamente, os bons hábitos começam cedo. Quanto mais cedo você começar a praticar hábitos saudáveis com eles, maior será a probabilidade de eles os manterem. Isso irá beneficiá-los anos mais tarde. Certifique-se também de que eles estejam vivendo um estilo de vida o mais saudável possível. Se os vasos sanguíneos do cérebro e do coração permanecerem em boas condições durante o início da idade adulta e a meia-idade, é mais provável que seus filhos permaneçam saudáveis ​ao envelhecerem.

Se a saúde dos vasos sanguíneos se deteriorar quando as pessoas são mais jovens, é difícil consertar o dano mais tarde. E danos nos vasos sanguíneos do cérebro podem ser um fator de demência.

Isso não quer dizer que incorporar escolhas saudáveis ao seu estilo de vida não fará diferença se você for mais velho. Essas escolhas ainda podem afetar positivamente sua saúde cognitiva e física.

Se você estiver com preocupações sobre a possibilidade de ter problemas de memória mais cedo do que sua mãe, além de mudar seu estilo de vida, fale com o seu médico ou neurologista para obter orientações adicionais. — Dr. Gregory Day, neurologista, Mayo Clinic, Jacksonville, Flórida

###

Sobre a Mayo Clinic
A Mayo Clinic é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a inovação na prática clínica, educação e pesquisa, fornecendo compaixão, conhecimento e respostas para todos que precisam de cura. Visite a Rede de Notícias da Mayo Clinic para obter outras notícias da Mayo Clinic.

Contato de mídia:
Cynthia Weiss, Relações Institucionais da Mayo Clinic, newsbureau@mayo.edu