• Pesquisadores de Mayo Clinic revelam “achado valioso” sobre genes que têm papel fundamental no câncer de rim

JACKSONVILLE, Flórida —Análises genômicas de carcinomas de células renais de células claras (ccRCC — clear cell renal cell carcinoma) de 72 pacientes, revelaram 31 genes que são peças-chave no desenvolvimento, crescimento e disseminação do câncer, informam pesquisadores da Clínica Mayo de Jacksonville, na Flórida. Desses genes, oito não haviam sido relacionados, anteriormente, ao câncer de rim; e outros seis genes, ao que se sabia até então, nunca foram ligados a qualquer forma de câncer. O ccRCC é a forma mais comum de câncer de rim.

O estudo dos pesquisadores, publicado no jornal Oncotarget, traz a mais extensa análise, até hoje, do papel que a expressão dos genes exerce no crescimento e na metástase de um tumor ccRCC. O subtipo ccRCC é responsável por 80% de todos os casos de câncer de rim.

“Esse estudo é uma análise completa, porque genes superexpressados foram funcionalmente testados em células do câncer de rim, para se ter certeza de que eles são importantes, sob algum aspecto, para o processo do câncer”, diz o principal pesquisador do estudo, o biólogo molecular, John A. Copland, Ph.D.

“O poder desse estudo está no fato de que examinamos os genes que descobrimos estar superexpressados em tumores de pacientes e determinamos suas funções no câncer de rim, o que nunca foi feito em grande escala antes”, ele diz. “Esse é um passo seminal na identificação de vias e moléculas envolvidas no desenvolvimento do câncer de rim, de forma que terapias específicas, que objetivem esses genes em questão, possam ser desenvolvidas para o tratamento desse tipo de câncer”, explica.

Esse câncer de rim está entre os dez tipos de câncer mais sólidos nos EUA. A expectativa dos pesquisadores é a de que 60 mil novos casos devem ser diagnosticados neste ano e devem ocorrer 13 mil mortes. Embora o prognóstico do câncer de rim que ainda não se disseminou seja bom, os pacientes com câncer avançado ou metastático irão desenvolver resistência a medicamentos. Pacientes com doença metastática não tratada têm uma taxa geral de sobrevivência de cinco anos de menos de 10%.

A equipe de pesquisa, que inclui alunos graduados da Mayo e a autora principal Christina von Roemeling, já publicou diversos estudos em que identificam os genes que descobriram nas análises genéticas. Ao considerar a importância dessas descobertas para os pacientes, eles decidiram divulgar todos os genes, de uma vez, no jornal Oncotarget.

“Estamos divulgando essas descobertas à comunidade científica, para que um esforço mais amplo seja estruturado, a fim de buscar mais informações sobre esses genes e sobre como eles podem ser objetivados com eficácia”, diz Christina von Roemeling. “A pesquisa rápida, que se foca em novos tipos de tratamento para salvar vidas, é uma dívida que temos para com os pacientes”, ela declara.

As terapias dirigidas, usadas no momento para tratar o câncer de rim, são frequentemente tóxicas, ela acrescenta.

“As descobertas do estudo representam um avanço muito importante na identificação terapêutica do alvo para o ccRCC e abrem novos caminhos para a descoberta e desenvolvimento de drogas. Novos agentes terapêuticos, que atuam nesses novos alvos, devem promover uma melhora significativa no prognóstico de pacientes com ccRCC”, diz o coautor do estudo e oncologista da Mayo Han Tun, M.D.

Os pesquisadores examinaram um número igual de amostras (72) de rins normais e de tecidos do câncer de rim. Eles examinaram a superexpressão e a subexpressão do RNA (ácido ribonucleico) do tecido, bem como a produção de proteínas, porque os genes expressam RNA pra produzir proteína. Eles encontraram quase 6 mil genes que se encaixam nessa descrição. Eles isolaram e testaram 195 genes que são consistentemente elevados em amostras de pacientes. Os pesquisadores então reduziram a lista de “sucessos” para 31 genes, depois de testar cada um deles em células vivas de câncer, para ver se esses genes contribuíram ou não para o crescimento e a disseminação do tumor.

6.30.14_Sarcospan gene Feature

Um novo gene, chamado sarcospan, descoberto em um tipo comum de câncer de rim promove, como se descobriu, movimento das células, levando à invasão e à metástase. As células silenciadas pelo sarcospan se juntam como células normais.

 

 

 

 

“Nós também encontramos genes com outras funções que são essenciais para a sobrevivência ao câncer de rim, assim como para inflamações. Outro gene encontrado está ligado à angiogênese, que é a produção de novos vasos sanguíneos para dar suporte ao tumor. Essa é uma descoberta nova”, diz Christina von Roemeling. “Ela é particularmente importante porque o ccRCC é bem conhecido por ser um tipo de câncer muito angiogênico”.

“Em acréscimo ao potencial desses genes e produtos dos genes para nos ajudar a desenvolver novas drogas, eles também servem como biomarcadores para diagnósticos precisos”, ela diz.“É realmente um tesouro encontrado para a futura pesquisa do câncer de rim”, afirma.

Entre os coautores do estudo estão: Hege Ekeberg Larsen, Austin Rohl, Johnny Wei e Laura Marlow, que são estudantes ou técnicos do laboratório Copland; Derek Radisky, da Clínica Mayo; Richard Drake, da Universidade de Medicina da Carolina do Sul; Heng Zhu, da Escola de Medicina Johns Hopkins; Maciek Sasinowski e Heather Sasinowska, da Incogen, Inc.

O estudo foi financiado, em parte, pelas verbas do Institutos Nacionais de Saúde / Instituto Nacional do Câncer R01CA104505, R01CA136665, R01CA104505-05S1 e 5R44CA125807; uma doação do Fundo Dotado por David & Lois Stulberg para a Pesquisa do Câncer de Rim; pelo Fundo de Pesquisa do Senhor e Senhora Ompal Chauhan; pela Pesquisa do Câncer da Clínica Mayo da Flórida; pelo Prêmio para Desenvolvimento de Carreiras em Pesquisa para Médicos da Clínica Mayo James C. e Sarah K. Kennedy; pela Fundação Scheidel; pela Auxiliar do Estado da Flórida da Ordem Fraternal das Águias; e por uma verba para pesquisa de tipos raros de câncer do Dr. Ellis e Dona Brunton.

Para mais informações sobre tratamento do câncer de rim e outros tipos de câncer na Clínica Mayo de Jacksonville, Flórida, contate o departamento de Serviços Internacionais pelo telefone 1-904-953-7000 ou envie e-mail para intl.mcj@mayo.edu. Para mais informações em português, visite mayoclinic.org/portuguese/.

# # #

Sobre a Mayo Clinic
Completando 150 anos de serviços à humanidade em 2014, a Mayo é uma das principais clínicas mundiais, dedicada à atenção médica, pesquisa e educação para pessoas em todas as etapas da vida.  Não tem fins lucrativos. Para mais informações, acesse 150years.mayoclinic.org ou newsnetwork.mayoclinic.org/.

CONTACTO: Guta Bacelar, 305-598-0125, gbacelar@bellsouth.net

Related articles